Britânico cria solução para combater a poluição com “protetor solar e lápis”

Samuel Burrow, de 16 anos, do Reino Unido, observando a quantidade de poluição de sua cidade decidiu criar uma alternativa para deixar sua cidade e consequentemente, também, o mundo mais limpo.

Burrow intitulou seu projeto de “Limpando o Mundo com Protetores Solares e Lápis”, porque ele propõe combinar óxido de grafeno e dióxido de titânio, que são usados em lápis e protetor solar, respectivamente.

A combinação proposta por Burrow é uma melhoria nas tintas de “auto-limpeza” de dióxido de titânio comercial, que são atualmente bastante caras e não muito eficazes.

A ciência por trás das tintas de dióxido de titânio, em geral, é que quando a luz solar os atinge, ele passa a ter fortes propriedades de oxidação, inclusive poluentes. A idéia é que você pode usar a pintura no exterior dos edifícios para fazê-los “comer poluição”.

Grafeno em si é insolúvel em água, embora, o que significa que não iria trabalhar em uma tinta à base de água. Mas Burrow hipotetizou que usar óxido de grafeno funcionaria, porque é solúvel em água, e a reação de dióxido de titânio à luz reduziria a grafeno depois que a tinta foi aplicada em uma superfície.

Com certeza, a experimentação de Burrow provou que o dióxido de titânio reduz o óxido de grafeno ao grafeno quando a luz o atinge. Isso sugere que uma pintura combinando os dois seria mais forte e mais eficiente do que as tintas de óxido de titânio usado hoje.

Este sistema não é inédito, já existem sistemas com o mesmo intuito, mas o que diferencia este dos outros é que o modelo é barato, acessível a qualquer pessoa.

Há infinitas formas de aplicações desta descoberta. Por exemplo, usar a mistura em uma esponja, poderia ajudar na purificação da água. Caso fosse mesclado à areia, ele poderia filtrar metais pesados também na água. E quando usado para pintar uma superfície, seria de grande ajuda na remoção da poluição do ar e como um pó, ele poderia simplesmente ser misturado à água e exposto ao sol a água se tornaria limpa.

“O projeto mostra a maneira mais fácil para implementação em áreas rurais e industriais, devido à sua facilidade de uso, além da manufatura relativamente barata e eficiênciente”, Burrow escreve em seu relatório.

Burrow foi um dos 18 adolescentes incrivelmente inteligentes que chegaram na final do prêmio de ciência do Google.